propósito

cansado.

Cansado.
Cansado da estagnação.
Da incessante inércia.
Da infindável espera.
Um céu cinza sem chover.
Sol sem fazer calor.
Santificação cheia de pecado.
Depressão disfarçada em sorriso.
Cristianismo sem compaixão.
Ocupações cheias de nada.
Status vazios de significado.
Cantos sem significado.
Pessoas cheias de si, vazias de Deus.
Amigos sem amor.
Compaixão sem alcance.
Anos que parecem séculos.
Eu corri demais,
Cheguei em lugar nenhum.
Cansei.

Anúncios
Padrão
A Cidade dos Homens - São Paulo

Perda.

Mosaicos de fé em minhas paredes
Dizem mensagens que eu quis abandonar.
Há um grande abismo que separa
Expectativa de realidade,
Sonho de luta,
Esperança de sofrimento,
Plenitude de vazio.

Vazio.
Demora anos, e a vida tá passando.
Perda de tempo.
Alimente seu corpo.
Se preocupe com você.

Trabalhos, planos, metas.
Cada passo em dois degraus que eu dou,
Mais abatido e cansado estou.
Providência e estabilidade.
Evidência e emocionalismo.
Atmosfera e aparência.
Persistência e desistência.
Perda.

Padrão
cartas para um amor perdido

Verão Eterno. (Contos.)

Verão eterno.
Quando a música toca, é inevitável lembrar.
Eu te perdi sem te ter,
Não abracei teus sinais,
Fui o mesmo louco de novo.
Mas, ao som desse piano,
Mars canta minha história outra vez.
Eu não sabia por onde começar,
Nem como acabava.
Eu só não queria que acabasse.
E, quando eu achei que podia voltar,
Já era tarde mais uma vez.
Mas, você sabe…
Se passarem os anos,
A Vida mudar seus planos,
E mars compôr outros pianos…
A gente pode contar essa história diferente.
Pode ter o fim que os livros de contos pedem.

Padrão
propósito

Lembrança.

Sempre que eu olho pra esse céu,
Nublado, forte, avermelhado,
Me lembro daquele sonho.
Vasos se quebravam,
O chão tremia,
E o que via subindo…
Era o fim.
Sempre que vejo esse céu,
Lembro do sinal na mão.
Ele doeu por dias,
Como se eu fosse separado
Para viver a tribulação.
Sempre que olho pra esse céu,
Lembro da sua ira,
Lembro dos meus pecados,
E imploro:
Lembra-te de mim.

Padrão
Aldersgate

Rotina. (Inerte – Parte 1)

Despertadores
Que cantam sozinhos
Sem nem resposta ouvir.
Ouvi um som,
Esperança sobre uma glória que há de vir.
Olhos que outrora horizonte avistava,
Só vê sem ver clarão.
No erro imerso,
Destoa do verso
Amor não é jargão.

Senti. Quis liberdade. Ela me prendeu ao mal.
Se a chuva é passageira, a fraqueza é temporal.
Tristezas nos cobrem.
Inerte, o que verte
É amor substancial.

Padrão